Formação do PIM PIA aborda afeto e afetividade

formacao-pim-pia-afeto

Um encontro sobre afetividade e afeto marcou a agenda de formações do programa Primeira Infância Melhor – Porto Infância Alegre (PIM PIA) na segunda-feira, 15. A professora de história Suzana Graeff, que integra a ONG Brahma Kumaris – movimento espiritual voltado à transformação pessoal –, ministrou palestra sobre o tema A Importância de Dar e Receber Afeto nas Infâncias aos visitadores do programa no auditório do 5º andar da Secretaria Municipal de Educação (Smed).

Suzana levantou questões como a importância do autoconhecimento para a construção de relações saudáveis, os bloqueios emocionais resultantes do convívio social, a carência de afetos nos contatos cotidianos e a conceituação de sentimentos, emoções e amor. Para a professora, o atendimento às famílias proposto pelo PIM PIA requer suporte afetivo por parte dos visitadores. “É fundamental resgatar o positivo dentro de si para poder levá-lo a outros ambientes, especialmente nas comunidades onde os conflitos e as negatividades são fortes”, afirmou. Foram propostas atividades de toque e de lembranças, buscando uma experiência prática no campo do afeto e do relacionamento interpessoal. “Se não sei lidar com os meus sentimentos de forma adulta, como vou lidar com os sentimentos dos outros?”, questionou.

Segundo a secretária adjunta de Educação, Maria da Graça Paiva, coordenadora do PIM PIA, os temas abordados pela palestrante foram de grande contribuição para o trabalho dos estudantes que participam do programa. “As crianças e famílias que atendemos estão sedentas por olhares, por toques. Precisamos agir onde está o desequilíbrio, que é onde o visitador precisa levar afeto”, destacou.

O ciclo de formações do programa, que se encerra ao final de fevereiro, promove abordagens sob diferentes óticas. Técnicos e especialistas da Smed e das instituições parceiras do programa (Secretaria Municipal da Cultura, Secretaria Municipal da Saúde e Fundação de Assistência Social e Cidadania), convidados externos e visitadores protagonizam os encontros, visando a qualificação das estratégias desenvolvidas nas comunidades já atendidas e nas que estão sendo inseridas este ano.

Foto: Willian Baldon/Divulgação PMPA
Texto: Luiz Eduardo Campesato (estagiário) / Supervisão: Andrea Pinto
Edição: Manuel Petrik
Fonte: PMPA


 

Comente