Integração PIM/PSE é debatida em seminário do Programa Saúde na Escola

Doze temas prioritários que compõem o Programa Saúde na Escola (PSE) foram apresentados no Seminário Estadual Qualificando a Gestão do Programa Saúde na Escola, que acontece desde ontem (6) no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), em Porto Alegre. A equipe do Primeira Infância Melhor/Programa Criança Feliz, representada pelas integrantes do Grupo Técnico Estadual (GTE), Carla Neves, Cleci Lima e Lacy Pires, explicou, na plenária, de que maneira os programas atuam em harmonia com o PSE.

O diretor do Departamento de Ações em Saúde (DAS), Elson Farias, representando o secretário estadual da Saúde, Francisco Paz, participou da abertura do evento e falou dos desafios do trabalho intersetorial. Já o secretário estadual da Educação, Ronald Krummenauer, reforçou o papel de parcerias para a construção de soluções conjuntas.

Crédito: Marília Bissigo/SES

Foto: Marília Bissigo/SES

Além das autoridades, cerca de 50 representantes do PSE nas Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS) do Rio Grande do Sul estiveram nos dois dias de evento. 

Conheça as ações desenvolvidas pelo PIM/PCF em sintonia com o PSE

  1. Atualização do calendário vacinal: o PIM participou da elaboração da nova caderneta da criança, incluindo temáticas que envolvem afeto, desenvolvimento e famílias. Os visitadores do programa, que já verificam a caderneta de vacinação, irão fazer treinamentos para compreender o documento;
  2. Alimentação saudável e prevenção da obesidade infantil: os visitadores do PIM disponibilizam materiais de apoio para as famílias como os “Doze passos para a alimentação saudável” e realizam o encaminhamento das famílias em situação de vulnerabilidade para o cadastro no Bolsa Família;
  3. Ações de combate ao mosquito Aedes aegypti: o PIM, com auxílio do site do programa, divulga para os municípios as ações de mobilização nacional de combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor dengue, zika, febre amarela e chikungunya;
  4. Avaliação de saúde bucal e aplicação tópica de flúor: os visitadores oferecem orientações de higiene a partir do aleitamento materno e cuidados com a primeira dentição do bebê, assim, prevenindo cáries e levando informações do atendimento odontológico de toda a rede de saúde;
  5. Saúde ocular e identificação de possíveis sinais de alteração: por meio de atividades lúdicas, os visitadores podem identificar sinais de alteração na visão e linguagem da criança. Caso isto ocorra, os profissionais orientam os responsáveis pela criança e encaminham a situação para o supervisor, que faz o direcionamento adequado à rede de serviços;
  6. Avaliação da saúde auditiva e identificação de possíveis sinais de alteração: também com auxílio de atividades lúdicas, os visitadores do PIM podem verificar possíveis sinais de alteração na audição da criança, orientam os responsáveis e encaminham a situação para o supervisor, que faz o direcionamento à rede;
  7. Prevenção das violências e dos acidentes: as equipes do PIM orientam as famílias sobre a prevenção de acidentes domésticos;
  8. Identificação de sinais de agravos de doenças em eliminação: os visitadores do PIM contribuem na realização de diagnóstico precoce e identificam sinais de doenças em eliminação, como hanseníase, tuberculose, tracoma e esquistossomose, entre outras. Ao detectar alguma alteração, o profissional direciona a criança e família para a supervisão, monitoria ou Grupo Técnico Estadual, que realiza o encaminhamento para o serviço necessário;
  9. Prevenção ao uso de álcool, tabaco, crack e outras drogas: através de visita domiciliar e grupos de gestantes, o PIM escuta e acolhe possíveis sofrimentos psíquicos e realiza o direcionamento para serviços especializados;
  10. Realização de práticas corporais, da atividade física e do lazer: com a missão de auxiliar no desenvolvimento integral da criança, os visitadores do PIM estimulam o controle corporal com auxílio de atividades lúdicas;
  11. Promoção da cultura de paz, cidadania e direitos Humanos: políticas que visam o desenvolvimento infantil na sua integralidade, assim como faz o PIM, contribuem com os direitos da criança, assegurados no Estatuto da Criança e do Adolescente. O programa também faz encaminhamentos para a Secretaria da Assistência Social, Conselho Tutelar e Ministério Público;
  12. Prevenção de DST/AIDS e orientação sobre direito sexual e reprodutivo: entre as gestantes atendidas pelo PIM, o público prioritário são mulheres com sífilis e HIV+ e adolescentes. Os visitadores e, consequentemente, as famílias atendidas pelo programa, são orientados sobre preservativos e métodos contraceptivos. Além disso, o Primeira Infância Melhor busca sensibilizar os núcleos familiares sobre a importância do planejamento familiar e prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST);

Programa Saúde na Escola (PSE)

Há mais de onze anos, o Programa Saúde na Escola (PSE) articula e promove ações de saúde e educação para contribuir com a formação integral de mais de 20 milhões de estudantes em todo o Brasil. A iniciativa, desenvolvida pelos Ministérios da Saúde e da Educação, considera as vulnerabilidades de crianças e jovens da rede pública de ensino e visa melhorar a qualidade de vida a partir do núcleo escolar. 

O programa federal elabora estratégias de educação e saúde nas escolas e está presente em 90% dos municípios brasileiros, um total de 5.040 cidades, sendo 352 no Rio Grande do Sul, segundo relatório apresentado  no 16º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, realizado em 2017. No ano passado, o Ministério da Saúde destinou R$ 89 milhões para o PSE, contemplando 85.706 escolas do país.

O PSE tem como públicos-alvo estudantes da Educação Básica, gestores e profissionais de Educação e Saúde, comunidade escolar, alunos da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).