O PIM e a legitimação das competências familiares

protagonismo-familiar

A política Primeira Infância Melhor (PIM) têm como um de seus eixos de sustentação – talvez o principal – a ênfase no protagonismo familiar. Na prática, isto traduz-se através das atividades propostas com o papel da família como principal ator do desenvolvimento de suas crianças. Retoma-se a concepção de Educação Infantil como sendo algo maior que a Educação institucional (a escola). Devolve-se, restaura-se, resgata-se a competência da família como principal responsável no processo de Educação da criança – no entanto, com a oferta de suporte da rede para isto, ou seja, informando a família e/ou cuidadores sobre a melhor forma de conduzir o desenvolvimento integral infantil.

A família, uma vez que retoma sua responsabilidade/responsividade na condução da formação de suas crianças, encontra-se no impasse de saber fazê-lo. É este, e não qualquer outro, o papel do PIM: o suporte. A família não tem obrigação de saber como fazer isso, mas compreende e comprova que dispõe dos recursos necessários à promoção do desenvolvimento sadio de suas crianças, necessitando apenas de orientação sobre como fazê-lo. Para além da articulação da rede, no que diz respeito às condições de uma vida digna, a família conta com orientação específica e personalizada, contemplando as demandas circunstanciais de desenvolvimento da criança, levando em conta o meio em que vive, os recursos de que dispõe e a cultura em que se encontra inserida. Os Visitadores são os profissionais capacitados e a observar, no contexto de vida das famílias, as possibilidade que elas têm de promover o desenvolvimento integral de suas crianças, com base nas demandas que constituem o desenvolvimento infantil.

À medida que compreende, através da aplicação da metodologia, que pode oportunizar  estimulação adequada a suas crianças, a família recupera e/ou fortalece sua autoestima – muitas vezes perdida – movendo-se da posição de quem é “recebedora” de tudo o que lhe puderem disponibilizar, para a posição de protagonista. Ou seja, a família, como instituição, recupera um papel – em muitos aspectos destituído – e, ao mesmo tempo, é munida de condições para desempenhá-lo. Ao contrário do que seria uma intervenção de caráter paternalista, o PIM capacita, habilita, instrumentaliza a família para o que é, provavelmente, seu maior papel: educar suas crianças.

Não há, em instância alguma da sociedade, alguém que substitua o papel da família, simplesmente porque não há instituição outra, que detenha esta competência. Se a família não for “capaz” de ser a base de suas crianças, ninguém mais na sociedade o será. A relevância do papel da família é inquestionável, e talvez tenha sempre sido – o diferencial desta política apenas o legitima.


 

4 Comentários

  1. o trabalho na primeira infância é satisfatório gratificante principalmente para quem é professor de educação infantil.

  2. é importante essa preocupação com a primeira infância, pois quando algumas questões são solucionadas e trabalhadas desde cedo a criança se torna um adulto bem resolvido.

  3. Para desenvolver um trabalho gratificante na primeira infância é importantíssimo envolver também a família, pois um é complemento do outro

  4. GOSTARIA DE ALERTAR PARA AS COMPETÊNCIAS QUE TEM QUE TER O PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL CONFORME O “REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL:
    ….”a FORMAÇÃO DO DOCENTES PARA ATUAR NA EDUCAÇÃO BÁSICA FAR-SE A EM NÍVEL SUPERIOR”

    QUANTO AO PERFIL:
    ….”ESPERA-SE QUE ESTE PROFISSIONAL SEJA POLIVALENTE POIS TERÁ QUE TRABALHAR COM CONTEÚDOS DE NATUREZA DIVERSAS QUE ABRANGEM DESDE CUIDADOS BÁSICOS ESSENCIAIS, ATÉ CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROVENIENTES DAS DIVERSAS ÁREAS DO CONHECIMENTO.”
    GOSTARIA DE DEIXAR CLARO QUE ESTE PROFISSIONAL DEVERIA SER MUITO BEM REMUNERADO POIS LIDA COM O INICIO DA VIDA E NESTA FASE TÃO DELICADA QUE O PROJETO HUMANO PODE FICAR INVALIDADO SE NÃO FOR BEM ESTRUTURADA SUA PROGRAMAÇÃO, DESDE OS CUIDADOS BÁSICOS QUE OS OUTRO PROFISSIONAIS NÃO HAVERÃO E TER COMO LIMPAR NARIZ, TROCAR FRALDAS, DAR COMIDA, LEVAR NO BANHEIRO LIMPAR A BUNDA DA CRIANÇA… ENTÃO OS PEDAGOGOS DEVERIAM TER UM SALARIO ALTÍSSIMO POR TANTAS RESPONSABILIDADES. IMAGINE UM ENGENHEIRO QUE TENHA QUE LIMAR O NARIZ E O BUM BUM DOS SEUS PEÕES COMANDADOS!

Comente