A Primeira Infância na região noroeste

Além dos atendimentos domiciliares as gestantes participam de diversas oficinas - Divulgação

Além dos atendimentos domiciliares as gestantes participam de diversas oficinas – Divulgação

A primeira infância é o período que compreende desde o nascimento até os cinco anos de vida da criança. É uma etapa muito importante para o desenvolvimento, por ser a base da formação cerebral e social do ser humano, e as experiências dessa época são levadas para o resto da vida – mesmo aquelas que acontecem durante a gestação ou enquanto o bebê é pequeno, ainda não sabe falar e nem tem memória apurada dos fatos que acontecem à sua volta.

Para garantir a promoção e o desenvolvimento integral das crianças durante a primeira infância, o governo gaúcho instituiu, em abril de 2003, o Programa Primeira Infância Melhor (PIM), que se constitui numa das mais importantes políticas públicas do RS, servindo de exemplo, inclusive, para outros Estados. O modelo foi trazido por Osmar Terra em uma de suas visitas a Cuba. “O programa funciona em parceria entre Estado e municípios e estrutura-se em três eixos: a família, a comunidade e a intersetorialidade, priorizando áreas cuja população tem maior número de famílias com crianças de 0 a 5 anos e gestantes em situação de vulnerabilidade e risco social”, explicou Fabiana Zardin da Rocha Racoski, psicopedagoga, especialista em psicopedagogia clínica e institucional, responsável pelo PIM na 19ª Coordenadoria Regional de Saúde (19ª CRS).

Em 2006, o programa foi instituído como parte integrante da Política Estadual de Promoção e Desenvolvimento da Primeira Infância, através da Lei Estadual nº 12.544. “Estudos mostram que quando a criança é estimulada e as condições ambientais para o seu desenvolvimento durante a primeira infância são boas, maiores são as probabilidades de a criança alcançar o melhor de seu potencial, tornando-se um adulto mais equilibrado, produtivo e realizado. O PIM é uma ferramenta de intervenção social de baixo custo para a sociedade e traz muitos resultados”, explicou.

O programa na região

Na região, a maioria dos municípios participa do PIM e dá o suporte necessário às mães e às crianças. De acordo com Fabiana, 19 municípios dos 23 pertencentes à 19ª CRS são cadastrados no PIM. São eles: Alpestre, Ametista do Sul, Caiçara, Cristal do Sul, Erval Seco, Esperança do Sul, Frederico Westphalen, Iraí, Liberato Salzano, Novo Tiradentes, Palmitinho, Pinhal, Pinheirinho do Vale, Rodeio Bonito, Seberi, Taquaruçu do Sul, Vicente Dutra, Vista Alegre, Vista Gaúcha, totalizando em média 2.618 famílias, 2.510 crianças e 272 gestantes atendidas.

Como o PIM atua

Existem as monitoras e as visitadoras que desenvolvem o programa junto com as famílias, orientando pais e cuidadores para as atividades lúdicas que a criança e as gestantes devem fazer.

De acordo com a monitora do programa em Frederico Westphalen, Micheli Prates Carvalho Piazza, a iniciativa vem possibilitando a construção de uma nova história na vida de todas as crianças e famílias atendidas, com o apoio das comunidades e de todos os setores envolvidos, com reflexos em toda a sociedade. “Apostamos que é durante a primeira infância que a criança passa por processos de desenvolvimento importantes, que são influenciados pela realidade e ambiente em que está inserida. Entre esses processos, estão o crescimento físico, o amadurecimento neurocerebral, a aquisição dos movimentos, o desenvolvimento da capacidade de aprendizado e a evolução social e afetiva”, explicou.

As famílias são orientadas por meio de visitas domiciliares semanais, guiadas por princípios éticos e democráticos, reconhecendo a importância da interdisciplinaridade e da intersetorialidade, pois ao promover a saúde e o desenvolvimento das crianças atendidas, o PIM favorece o seu crescimento e aumenta as chances de um processo de educação e de formação de qualidade. Essa política atua junto com a família e os cuidadores de cada criança, através do reconhecimento e orientação dos potenciais da família como principal promotora do desenvolvimento integral infantil.

– Num país com problemas tão graves como o Brasil, de desigualdades sociais extremas, violência, falta de segurança e desrespeito aos direitos humanos mais elementares, investir na primeira infância constitui uma estratégia política da mais alta relevância. Seus resultados, em curto, médio e longo prazo, para além da história individual de cada criança, contribuem para mudar os rumos do país, e é nisso que acreditamos –, ponderou a coordenadora do projeto na região.

Família e PIM contribuem para um futuro produtivo e bem-sucedido, prevenindo e minimizando problemas de desenvolvimento, de aprendizagem, bem como os riscos de evasão escolar, violência, conflitos com a lei, entre outros.

Exemplo nacional

Em dezembro de 2016, o governo federal lançou o programa Criança Feliz, que tem uma metodologia muito semelhante à do PIM. Tendo sido o RS o primeiro Estado a assinar o termo de aceite, os municípios têm até 10 de fevereiro para se manifestarem e aderirem ao programa federal. O principal diferencial do Criança Feliz é o atendimento de crianças e gestantes sob medida protetiva e os beneficiários de programas sociais do governo.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o programa no Rio Grande do Sul visa a aumentar o número de mães e crianças atendidas, sem extinguir o programa já em pratica no Estado.

Fonte: Folha do Noroeste


 

01 Comentário

  1. telmira disse:

    A criança precisa ser acompanhada e compreendida para melhor compreender o adulto que acompanha no seu desenvolvimento.

Comente