FGV e PIM realizam worskhop sobre pesquisa que avalia impacto do programa


Evento reuniu profissionais da  Fundação Getúlio Vargas e integrantes do Grupo Técnico Estadual (GTE) do PIM na Famurs.

Foi realizado no dia 21 de fevereiro, o “Workshop – Avaliação Experimental Longitudinal do PIM”, com o objetivo de definir estratégias para captar novos municípios para participarem do estudo que avalia o impacto do Primeira Infância Melhor (PIM). O evento reuniu profissionais da  Fundação Getúlio Vargas (FGV) e integrantes do Grupo Técnico Estadual (GTE) do PIM.

Durante o encontro realizado na Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e organizado pelo PIM em parceria com a FGV EESP Clear, os participantes foram instruídos sobre o método e benefícios da pesquisa longitudinal e acessaram os materiais utilizados no processo de coleta de dados. Além disso, os profissionais debateram maneiras de sensibilizar novas cidades para participarem do estudo e discutiram os avanços que a pesquisa irá trazer nas ações do PIM.

Este estudo avalia diversos fatores durante cerca de duas décadas e pretende verificar os efeitos do PIM em mais de três mil crianças, acompanhadas através de pesquisa de campo. Entre os fatores avaliados estão: desenvolvimento motor, cognitivo, socioemocional, linguagem e comunicação, indicadores de qualidade da relação da família com a criança, acesso aos serviços e direitos ligados à administração pública local, saúde, educação e atuação no mercado de trabalho.

A “Avaliação Experimental Longitudinal do Programa Primeira Infância Melhor” prevê acompanhar cerca de três mil crianças no Rio Grande do Sul e é fruto de parceria da Secretaria Estadual da Saúde, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal (FMCSV) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Gostaria de participar da pesquisa?

Os municípios interessados em participar da pesquisa podem entrar em contato com o Primeira Infância Melhor (PIM) através do e-mail pesquisapim@saude.rs.gov.br ou pelo telefone (51) 3288 5588, com Karine Verch.