I Fórum Nacional Cultura Infância

Representantes do Primeira Infância Melhor (PIM), política pública do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, participaram, nos dias 23 e 24 de setembro, do I Fórum Nacional Cultura Infância. O evento, que aconteceu no Centro de Referência Cultura Infância/Teatro do Jockey, no Rio de Janeiro (RJ), teve o objetivo de refletir com diferentes atores da sociedade civil a promoção da infância. Além disso, também foi proposta a sistematização das ações e diretrizes voltadas à Cultura Infância já desenvolvidas por diversos setores, visando a revisão do Plano Nacional de Cultura e, principalmente, a formulação de uma política pública de Estado para a Cultura Infância.

O Fórum contou com a participação de cerca de 120 representantes de diferentes regiões do Brasil, da sociedade civil organizada, dos Pontos de Cultura, Pontinhos, artistas, produtores, gestores públicos e privados, pesquisadores, universitários, educadores, crianças e adolescentes. A maioria é integrante de um Grupo de trabalho que vem se reunindo e lutando pela criação de uma política de Estado que promova a cultura da infância de forma transversal e multidisciplinar.

Na ocasião, os participantes desenvolveram coletivamente a Carta do Rio para a Cultura Infância, onde foram estabelecidas 12 diretrizes, divididas em quatro eixos básicos: Espaço, Tempo, Linguagem e Educação. O objetivo é que os 19 setores culturais representados no Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC) levem em conta o tema da infância e juventude e utilizem este documento como orientador na criação e revisão de seus planos setoriais.

Além disso, a Carta também propõe ao Ministério da Cultura e ao CNPC a inclusão de três metas na revisão do Plano Nacional de Cultura, que pedem a criação do Fundo Nacional Cultura Infância, criação de 100 Centros de Referência Cultura Infância e previsão de metas, programas, ações e dotações orçamentárias para Cultura Infância por todos os estados e municípios.

O encontro fez parte da programação do Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens (FIL), em parceria com o Ministério da Cultura (Secretaria de Políticas Culturais – SPC e Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural – SCDC).

Confira a carta na íntegra.

Fotos: Hipolito Lucena e Gecíola Fonseca


 

Comente