Ministério lança livro com relatos de famílias acompanhadas pelo Criança Feliz

No ano em que o Programa Criança Feliz comemorou grandes avanços, 2019, o Ministério da Cidadania foi atrás de histórias de famílias que tiveram sua realidade transformada por essa política pública. São pessoas cujas trajetórias se cruzaram com o trabalho do governo federal nas cinco regiões do país. O resultado foi a publicação de um livro lançado nesta quinta-feira (12) durante o Encontro Nacional do Programa, em Brasília. Com 164 páginas e tiragem de 5 mil exemplares, o material será distribuído aos estados e municípios que aderiram ao programa.

Com texto também em outros idiomas, a intenção é disseminar a experiência já premiada internacionalmente e que colocou o Criança Feliz entre as seis iniciativas mais inovadoras do mundo no enfrentamento aos desafios globais de educação. “Queremos comemorar o trabalho realizado e apresentar as ações também para outros países, por isso tivemos o cuidado de fazer a tradução em inglês e espanhol”, disse a secretária nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano do Ministério da Cidadania, Ely Harasawa.

Para a confecção da obra, o Ministério da Cidadania contou com o apoio da Fundação Pitágoras. A presidente do grupo, Helena Neiva, afirmou que a proposta da fundação é levar projetos transformadores para os brasileiros mais vulneráveis. “Sabemos que a causa do Criança Feliz é importante e temos orgulho de ter o Brasil como referência mundial em atenção à primeira infância, por isso quisemos apoiar”, explicou.

Famílias do Rio Grande do Sul

No livro do Criança Feliz, o relato da família da Daiane dos Santos, mãe do Samuel (3 anos) e da Sarah (7 meses), que moram em Esteio, emociona. Do mesmo município, também podemos conhecer a história da família da Bárbara Gonçalvez, que é mãe dos gêmeos Thiago e Miguel (2 meses) e do Pedro Henrique (2 anos), do Eduardo (4 anos) e do Hudson (9 anos).

Acervo de Memórias do PIM

O Primeira Infância Melhor (PIM) também tem relatos publicados. Ao completar 15 anos, em 2018, o programa produziu a publicação “Primeira Infância Melhor: 15 anos de Histórias” contendo 80 relatos entre famílias que recebem ou já receberam o atendimento do PIM, membros das equipes estadual e municipais, parceiros e especialistas em primeira infância. A publicação ainda conta com autobiografias da 8ª edição do Prêmio Salvador Celia. No ano seguinte, em 2019, a publicação se tornou uma plataforma permanente de coleta e publicação de relatos, batizada de Acervo de Memórias do PIM.

Fonte: Ministério da Cidadania