Resultados

Avaliação de impacto na prontidão escolar de crianças egressas do PIM

logo-edi

O Offord Centre for Child Development, da Universidade McMaster de Toronto/Canadá, realizou pesquisa baseada em um estudo de intervenção, no qual foi avaliado o impacto do Primeira Infância Melhor (PIM) para a prontidão escolar. Realizada por meio do Early Development Instrument (EDI), a pesquisa teve a finalidade de avaliar o desenvolvimento das crianças entre 4 e 6 anos de idade. O EDI é um instrumento que fornece informações de cinco áreas do desenvolvimento: saúde e bem estar físico, competência social, maturidade emocional, linguagem e desenvolvimento cognitivo, e habilidades de comunicação e conhecimento geral.

Os resultados revelaram:

  • Pais mais presentes na vida escolar dos filhos;
  • Redução da vulnerabilidade para aprendizagem, especialmente nos meninos – o que representa um fator protetivo;
  • Redução na vulnerabilidade para aprendizagem nas crianças filhas de mães com baixa escolaridade;
  • Maior impacto nas crianças que participaram por mais de 2 anos.

 

Download


 

Download

 

Avaliação do impacto do PIM nas famílias

logo-celepO Centro de Referencia Latinoamericano de Educación Preescolar (CELEP), de Cuba, após extensa avaliação do Primeira Infância Melhor (PIM), aponta uma melhora dos indicadores socioafetivos, de motricidade, cognitivo e de linguagem das crianças que passam a ser atendidas pela política. A pesquisa também apresenta um desempenho superior nessas áreas, das crianças que integram o PIM, em comparação com crianças das mesmas comunidades que não participam do programa. Foram coletados dados de 1.359 famílias distribuídos em 16 municípios gaúchos que participam do programa, por meio de observação e entrevistas.

 

Download

Avaliação para Melhora da Relação Custo-Efetividade, Qualificação e Expansão do Programa Primeira Infância Melhor (PIM) – Fundação Getúlio Vargas

logo-fgvEm 2014 foi aplicado pela Fundação Getúlio Vargas o Projeto “Qualificação e Expansão do Programa Primeira Infância Melhor (PIM)”. O trabalho buscou assessorar a SES-RS na elaboração de mecanismos de acompanhamento, monitoramento e aferição de impactos do PIM, de forma a permitir o aprimoramento nos processos da gestão de políticas públicas na área de atendimento à primeira infância. Teve como foco a análise dos dados, pesquisas por métodos qualitativos e quantitativos, e avaliação de impactos do PIM. Numa amostragem de 1600 entrevistados e abrangência geográfica de 39 municípios do RS com o PIM implantado entre as várias análises citamos algumas constatações:

  • Com relação à avaliação da qualidade dos serviços prestados, 96% consideram a qualidade do serviço prestado como sendo ótima ou boa, sendo que destes 53% o consideram ótima e 43% boa. Ainda, 3% o consideram regular e 1% ruim.
  • Percepção do entrevistado sobre o impacto do PIM em sua preparação para cuidar da criança: 87% das pessoas responderam que sim, há impacto, apenas 13% que não.
  • Quanto à percepção do impacto do programa no desenvolvimento da criança, 95% responderam sim e apenas 5% não. Ainda, 95% disseram que consideram que as atividades que o PIM orienta vão contribuir para melhorar as condições de vida da criança no futuro. Por fim, quanto à realização dos objetivos do programa percebe-se um padrão nas respostas. Cerca de 40% consideram o cumprimento dos objetivos ótimo, 55% bom, e o restante regular, péssimo ou ruim, considerando: fortalecimento das competências das famílias no cuidado das crianças, favorecimento no desenvolvimento integral das crianças, favorecimento de uma infância feliz, ajuda para melhorar os cuidados com a saúde da criança e das gestantes e fortalecimento da capacidade de interação social das crianças. Quanto ao objetivo melhora da relação entre comunidades e a rede pública de atendimento, 28% consideraram ótimo; 54%, bom; e 18%, regular.

Além destas conclusões muitas outras foram apresentadas. O Documento / Artigo está programado para ser publicado em 2015.

Download

Estudo da qualidade de sete programas de visitação domiciliar na América Latina e Caribe – Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)

logo-bid-37103Estudo desenvolvido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) sobre a qualidade de programas de visita domiciliar observou visitas realizadas pelo PIM em Ronda Alta, município localizado no norte do Rio Grande do Sul, no ano de 2014, comparando programas de 7 países da América Latina e Caribe, revelou que o PIM se destaca com a maior pontuação em diferentes indicadores de qualidade, tais como participação ativa dos cuidadores e crianças durante as visitas, preparo do Visitador, uso adequado dos manuais do Programa, e escolha de materiais e atividades apropriadas para a faixa etária atendida.

Download