PIM comemora 16 anos em evento alusivo ao Dia Mundial da Saúde


Exposição do Premio Salvador Celia foi instalada no saguão do Centro Administrativo – Foto: Neusa Jerusalém

A exibição do filme “O começo da Vida”, a exposição sobre o prêmio Salvador Celia e o lançamento de Acervo de Memórias fazem parte das comemorações dos 16 anos do programa Primeira Infância Melhor (PIM). Criado em 7 de abril de 2003 no Rio Grande do Sul, o programa é pioneiro na defesa e promoção do desenvolvimento infantil.

Para comemorar a data, o PIM estará integrado à programação alusiva ao Dia Mundial de Saúde, promovida pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) em conjunto com a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag). Na quinta-feira (11) será realizada uma série de atividades no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), em Porto Alegre.

Haverá a exibição do filme “O Começo da Vida”, da cineasta Estela Renner. O documentário aborda a importância do incentivo ao desenvolvimento infantil. A sessão será às 9h30 no auditório do Caff e é uma iniciativa do Programa Primeira Infância Melhor (PIM), do Governo do Estado.
No saguão do térreo do Centro Administrativo será montada uma exposição sobre o Prêmio Salvador Celia. O concurso visa à valorização das boas práticas de visitadores do PIM, de equipes da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) junto às famílias e comunidades atendidas. O Prêmio é uma homenagem a Salvador Celia, reconhecido psiquiatra infantil que dedicou parte da sua vida a estudar e promover ações de cuidado a bebês e crianças.

Acervo de Memórias

O Acervo de Memórias do PIM reúne dezenas de histórias narradas por familiares, cuidadores, gestores e profissionais envolvidos na trajetória do programa. Conforme a coordenadora Estadual do PIM, Gisele Mariuse da Silva, o acervo foi criado com a missão de coletar, produzir e registrar a memória do programa por meio dos relatos de experiências que fazem parte de sua história.

“Tem a finalidade de preservar e difundir vivências, garantindo o acesso da sociedade a esse patrimônio de forma compartilhada”, afirma. O arquivo online conta com depoimentos sobre a importância do PIM para as famílias atendidas, o acompanhamento de gestantes e o papel do programa na carreira profissional dos participantes.

Gisele conta que os primeiros relatos foram coletados em 2018, ocasião em que houve o lançamento da publicação 15 Anos de Histórias. Agora, o acervo deixa de apresentar caráter comemorativo e se torna um instrumento permanente, de registro de experiências que retratam os percursos percorridos pelos milhares de atores envolvidos nesta política pública.

Atenção à primeira infância

O PIM serviu de inspiração para programas similares em diversas regiões do Brasil, inclusive para o Programa Criança Feliz (PCF), do Governo Federal. Gisele da Silva também salienta que o PIM é considerado uma tecnologia de transformação social na América Latina pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Ao longo de 16 anos, o PIM atendeu cerca de 200 mil crianças e 50 mil gestantes entre mais de 180 mil famílias. Também contou com a dedicação de mais de 11 mil visitadores, monitores, integrantes do Grupo Técnico Estadual (GTE) e de centenas de Grupos Técnicos Municipais (GTM), espalhados em 244 municípios gaúchos.

A coordenadora estima que, atualmente, cerca de 59 mil crianças, 8 mil gestantes e 54 mil famílias sejam acompanhados por 2.700 visitadores por ano.

Fonte: SES/RS