Programa de Saúde para idosos baseado no PIM será criado em Balneário Camboriú

Representantes da OPAS visitam PIM Rubem Berta – Foto: Divulgação PIM

A metodologia do programa Primeira Infância Melhor (PIM) servirá de exemplo para que o município de Balneário Camboriú (SC) implemente um trabalho destinado à saúde das pessoas idosas. Intermediado pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e com apoio do Ministério da Saúde (MS), deve ser lançado em meados de setembro naquele município.

A coordenadora do PIM, Gisele Mariuse Silva, diz que os aspectos principais deste programa, pioneiro no Brasil, já foram exportados para a região norte, como comunidades ribeirinhas e indígenas do Amazonas. Ela acredita que o programa tem condições de ser adaptado a populações de outros ciclos de vida que possam estar em situações de vulnerabilidade social. 

Letícia Boeira, técnica do PIM, lembra que em vários municípios do Rio Grande do Sul já existe uma interface com grupos de idosos. “Eles contribuem, por exemplo, com o ensino de crochê, tricô, e contação de histórias”.

Para a coordenadora da Unidade Técnica de Família, Gênero e Curso de Vida da OPAS, Haydee Padilla, o Brasil é um país diferenciado na América Latina. “Uma de suas características é o envelhecimento da população”, afirmou durante a sua visita ao RS dias 17 e 18 de maio. Acompanhada pela secretária de Desenvolvimento e Inclusão Social de Balneário Camboriú, Christina Barichello, e pela representante da Saúde do Idoso do MS, Haydee Padilla visitou o Bairro Rubem Berta, em Porto Alegre, para conhecer a dinâmica de atuação dos visitadores do PIM na orientação das famílias atendidas.

“Este é o momento de desenvolver um trabalho conjunto entre os dois estados a partir da experiência do PIM”. Segundo ela, Balneário Camboriú é um município comprometido com os programas sociais e com a atenção primária.

Fonte: SES/RS