PSE atinge 100% de adesão no Rio Grande


Pela primeira vez na história do Rio Grande, todas as 111 escolas da cidade aderiram ao programa Saúde na Escola (PSE) no início de 2019. Junto ao PSE, que visa integrar permanentemente a saúde e a educação nas escolas públicas, os programas Primeira Infância Melhor (PIM), Criança Feliz (PCF) e Saúde do Adolescente fazem parte do Núcleo da Criança e do Adolescente no município. O convênio com o PSE foi firmado em 2013 no Rio Grande e teve 35 escolas , cinco estaduais e 30 municipais, pactuadas e inseridas no programa no ano passado. A adesão ao novo ciclo do Programa Saúde na Escola, biênio 2019-2020, está aberta até 15 de fevereiro.

Coordenador do PIM – Núcleo da Criança, Fernando Bitello, salientou a importância do projeto, ressaltando o direito de todos à saúde escolar e falou sobre a expectativa para este ano. “Conquistamos esse aumento de 300% em um ano. A expectativa para 2019 é que a gente consiga fazer um excelente trabalho. Quisemos trazer a equidade para os alunos porque queremos ofertar os trabalhos para todas as escolas, independente de qual bairro. Queremos fazer o melhor possível com o que a gente tem e que se mantenha sempre trazendo excelência, fazendo trabalhos diferenciados, com essa boa atuação que está tendo”.

Programa Saúde na Escola (PSE)

Instituído em 2007, o Programa federal Saúde na Escola (PSE) tem a missão de propagar saúde e educação a partir do núcleo escolar, proporcionando o fortalecimento e sustentação da articulação entre as escolas públicas e as Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF).

O PSE atua em doze eixos principais, sendo eles: Combate ao mosquito Aedes aegypti; promoção das práticas corporais, da atividade física e do lazer nas escolas; prevenção ao uso de álcool, tabaco, crack e outras drogas; promoção da cultura de paz, cidadania e direitos humanos; prevenção das violências e dos acidentes; identificação de educandos com possíveis sinais de agravos de doenças em eliminação; promoção e avaliação de saúde bucal e aplicação tópica de flúor; verificação e atualização da situação vacinal; promoção da alimentação saudável e prevenção da obesidade infantil; promoção da saúde auditiva e identificação de educandos com possíveis sinais de alteração; direito sexual e reprodutivo e prevenção de DST/Aids.

Além destas temáticas, o Programa Saúde na Escola também age na saúde ocular, que em 2018 atingiu 868 consultas oftalmológicas para o grupo alvo da cidade.
Texto adaptado da Prefeitura do Rio Grande