Visitadores de Porto Alegre realizam oficina alusiva ao Dia da Visibilidade Intersexo

A Política de Saúde da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transsexuais e Travestis (LGBTT) da Secretaria Estadual da Saúde (SES/RS) realizou, nesta terça-feira (29), oficina voltada para visitadores do Primeira Infância Melhor – Porto Infância Alegre (PIM PIA). A oficina intitulada de “Intersexualidade e Primeira Infância” foi alusiva ao Dia da Visibilidade Intersexo (26) e teve o objetivo de promover espaço de discussão e educação em saúde voltado para a integralidade na Atenção à Saúde da População Intersexo.

A formação contou com a participação de Lara Werner, sanitarista e integrante do projeto “A Política Nacional de Saúde Integral LGBT: estratégias de análise, avaliação e formação para o aprimoramento do Sistema Único de Saúde”; Renata dos Anjos, do Coletivo Mães pela Diversidade, e Sophie Nouveau Guerreiro, primeira mulher trans do curso de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Intersexualidade

A intersexualidade é um termo que descreve a variada condição biológica de pessoas que nascem com anatomia reprodutiva ou sexual e/ou padrão de cromossomos que não podem ser classificados como tipicamente masculinos ou femininos – isso pode ser visível no nascimento ou tornar-se aparente ao longo da vida, e revela a diversidade biológica da espécie humana.

Pessoas intersexo podem enfrentar discriminação e estigma no sistema de saúde, em muitos casos submetidas à falta de qualidade do atendimento, violência institucional e intervenções forçadas durante toda a sua vida. Considerando os marcos legais nacionais e internacionais de direitos humanos, direito à saúde, à integridade física, moral e psíquica e a proteção à infância, a sensibilização e informações corretas em relação à condição intersexo são condições fundamentais para que a família, a sociedade e o Estado possam estabelecer cuidados e garantir a qualidade de vida e a dignidade da criança intersexo ao longo de seu desenvolvimento.

Para saber mais sobre a importância da visibilidade intersexo, assista ao vídeo da campanha Livres e Iguais, elaborada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH):

Confira também a nota informativa elaborada pela Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a condição intersexo clicando aqui.

Dia da Visibilidade Intersexo

Celebrado dia 26 de outubro, o Dia da Visibilidade Intersexo visa promover maior conscientização sobre o tema.

Para mais informações, confira a cartilha “Dignidade da Criança em situação de Intersexo: orientações para Família” – desenvolvido pelo Instituto de Psicologia da Universidade Federal da Bahia (clique aqui).