IV Seminário Internacional da Primeira Infância reforça a importância dos primeiros anos de vida para uma infância mais saudável e um futuro menos violento

 

Cerca de mil pessoas participaram, nos dias 22 e 23 de novembro, do IV Seminário Internacional da Primeira Infância, que este ano teve como tema “Políticas Integradas para a Prevenção da Violência e Promoção da Vida”.

 

 

A solenidade de abertura do evento, que foi realizado no Centro de Eventos Plaza São Rafael, em Porto Alegre, com as falas das autoridades presentes, foi marcada também pela apresentação do PIM do município de Caxias do Sul, que emocionou os presentes, além dos músicos Victor Hugo e Geraldo Flach, que encerraram seu show ao som do hino riograndense.

Na conferência de abertura, o secretário estadual da Saúde, Osmar Terra, falou sobre “A Política de Prevenção da Violência e da Primeira Infância no Estado do RS”. Segundo o secretário, “o PIM será o programa de governo que terá o maior potencial transformador da sociedade, e certamente teremos gerações melhores do que a nossa”. Terra ainda afirmou que o PIM “é o melhor remédio para a prevenção da violência”, uma vez que grande parte da violência está relacionada a transtornos mentais que podem ser tratados ou evitados nos primeiros anos de vida.

O painel “Oportunidades e desafios para a atenção integral à primeira infância” contou com a participação do especialista em educação infantil, Vital Didonet, do neurologista gaúcho Jaderson Costa e do diretor de recursos humanos da Nestlé Brasil, João Dornellas, cuja empresa é exemplo no Brasil por ter ampliado a licença maternidade para seis meses.

No final da tarde houve ainda a assinatura do Protocolo de Intenções entre os governos do Rio Grande do Sul e do Espírito Santo, representados respectivamente pelo secretário Osmar Terra e pela secretária de Estado Extraordinária para Combate à Pobreza, Ana Paula Vitali Vescovi. A partir deste documento o governo do Espírito Santo pretende iniciar a implantação do PIM naquele estado.

Finalizando o primeiro dia do Seminário, brindado com a bela apresentação da Rede de Circo, com crianças e adolescentes do município de Cachoeirinha, ocorreu o lançamento oficial da publicação da Unesco/PIM/RS “Primeira Infância Melhor – uma inovação em política pública”. O livro registra a experiência exitosa do PIM e sua trajetória de projeto-piloto a política pública, descreve seus pressupostos teóricos, eixos estruturantes e modalidades de atendimento, visando a disseminação desta prática, política pública pioneira no Brasil para os primeiros anos de vida.

 

No segundo dia de evento a conferência ficou a cargo do psicanalista francês Bernard Golse, que falou sobre “A raiz perinatal da violência” com base no trabalho do Instituto Picker Loczy, de Budapeste, explicando sobre o surgimento da agressividade nos bebês. “Em cada etapa de seu desenvolvimento ele perde algo, e isso pode se tornar uma violência para a criança. Além disso, ela precisa conquistar o seu lugar, ter uma posição na família e na sociedade. Ela luta para viver. Esta agressividade não tem objetivo destruidor e nos persegue por toda a vida”, afirmou Golse.

O painel “Violência contra a criança: mapeamento e estratégias de superação” teve a participação do psicanalista José Outeiral, do psiquiatra da infância e adolescência, Victor Mardini e do chefe da Divisão de Estatística Criminal da Secretaria Estadual da Segurança Pública do RS, Luis Fernando Linch. Outeiral ensinou, por exemplo, que a palavra brincar vem do latim e significa vínculo e, segundo ele, “quando a criança brinca, atividade tão séria, ela está não só desenvolvendo a motricidade mas criando vínculos importantes”.

Para o painel “Criança e Comunicação”, que contou com a participação do jornalista Cláudio Brito como moderador, estiveram presentes o psiquiatra da FUSP Wimer Bottura Junior, a jornalista da Rede Andi, Joelma Ambrózio e o inglês Dominic Barter, coordenador da ONG Comunicação Não-Violenta, que, de formas diferentes, marcaram a importante discussão sobre a influência das diferentes formas e meios de comunicação para a formação do indivíduo.

O neurologista infantil Saul Cypel, da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, de São Paulo, a vice-presidente da Associação Pickler Loczy, Myrtha Chockler, e o educador do Instituto Alfa e Beto, João Batista Araújo, apresentaram o painel “Promovendo o Desenvolvimento Infantil”, com a participação do Dr. Salvador Célia, da Universidade Luterana do Brasil, como moderador. O painel reforçou a importância do investimento e da atenção aos primeiros anos de vida a partir de uma discussão entre representantes de instituições de renome nacional e internacional em relação ao assunto.

Experiências internacionais relacionadas à primeira infância foram relatadas no painel “Atenção à infância: Prevenção, Cuidado e Educação”, com a participação da doutora em ciências pedagógicas Isabel Rios, do CELEP de Cuba, apresentando o programa “Educa a tu Hijo”, referência metodológica do PIM, o Coordenador do Save the Children Suécia, Paulo Ricardo de Paiva e Souza, e as psicólogas do CINDE da Colômbia, Maria Inés Cuadros e do CENDI, México, Dália Gonzalez.

Encerrando o Seminário Internacional da Primeira Infância, o painel “Experiências exitosas do Programa Primeira Infância Melhor no RS” apresentou alguns relatos de experiências dos municípios do PIM destacados na publicação da Unesco/RS. Foram apresentados os municípios de Rio Grande, Santiago, São João do Polêsine, São Sepé e Bento Gonçalves, através dos respectivos gestores municipais.