Lá vai a lua…

Lá vai!…

Boiando…

Como um limão que flutua.

E eu fico de cá, pensando:

Mas a lua nem me escuta…

Fura uma nuvem,

Se esconde.

Surge e se põe a me olhar.

Será que de “esconde-esconde”

Ela está me convidando

Para brincar?

E a lua

Continua…

Lá vai andando,

Lá vai!

– Ninguém a está segurando…

Por que é que a lua não cai?