FGV-SP-PIM-Paes-de-Barros

A Fundação Getúlio Vargas (FGV), através do Centro Regional para Aprendizagem em Avaliação e Resultados para o Brasil e África Lusófona (CLEAR), realizou, no último dia 20 de maio, o Seminário Interno do Primeira Infância Melhor (PIM), em São Paulo.

O evento se tratou de uma discussão sobre a atual situação do Programa no Rio Grande do Sul e possibilidades de avaliação experimental da política pública com o objetivo de delinear um projeto de avaliação de impacto de estudo longitudinal do PIM.

Estavam presentes a coordenadora adjunta do PIM Gisele Mariuse e a supervisora responsável pelas Pesquisas e Parcerias Externas do PIM Giuliana Chiapin, além dos professores Ricardo Paes de Barros (Insper), André Portela (FGV/CLEAR) e pesquisadores Camila Soares (Insper), Lucas Finamor (FGV/CLEAR), Vinicius de Lima (FGV/CLEAR), Felipe Garcia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e Rafael Bernardini Santos da Fundação de Economia e Estatística (FEE).

No primeiro momento, foram apresentados o marco lógico do programa com atividades e resultados esperados, histórico do programa, números de atendimentos, critérios e processo de seleção de beneficiários, fluxos de informação e processos de expansão para municípios já participantes e para novos municípios.

Em sequência foram expostos o estudo que mostra os efeitos do PIM nas condições de saúde e de desenvolvimento infantil no Estado realizado pela UFPel e o indicador do público alvo do PIM desenvolvido em parceria com a FEE. Na fase final, foram explicitadas as possibilidades de avaliação do PIM pelos representantes da FGV/CLEAR e Insper e quais os próximos passos para a construção do projeto de avaliação de impacto de estudo longitudinal do PIM.

Depoimento

O professor da Escola de Economia em São Paulo (EESP) André Portela Souza destacou a importância da avaliação do PIM e dos investimentos na primeira infância:

“É amplamente reconhecida pelos pesquisadores a importância dos investimentos desde os primeiros anos de vida – a chamada primeira infância – no desenvolvimento cognitivo e sócio emocionais dos indivíduos. Estes investimentos estão altamente relacionados com a acumulação do capital humano em suas diversas dimensões de saúde, educação, capacidades produtivas e habilidades que permitem ao indivíduo terem uma vida adulta plena e autônoma. Desta forma, boas intervenções que foquem nesta faixa da população tem potencial de grandes e permanentes efeitos. Programas como o PIM são a melhor forma de realizar políticas públicas compensatórias voltadas para indivíduos vulneráveis. Elas têm o potencial de quebrar o ciclo vicioso da pobreza intergeracional. O PIM é um importante programa de Primeira Infância no País, tendo influenciado outras iniciativas semelhantes. Dado o seu porte, histórico e o enorme potencial de resultados, avaliá-lo a fim de entender o desenvolvimento na primeira infância e quantificar seus resultados é de suma importância para a ciência e para a execução de políticas públicas no Brasil. A avaliação permite gerar evidências para o constante aperfeiçoamento do programa e para aprimorar o seu desenho em planos de expansão”.