O Ministério da Saúde lançou uma nota técnica que incentiva o aleitamento materno antes e durante a vacinação, pela eficácia comprovada em reduzir a dor das crianças na aplicação de vacinas injetáveis. A prática é recomendada desde 2015 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A amamentação feita antes da vacinação pode reduzir a angústia via saciedade, o que promove a calma durante procedimentos que usam agulhas. Durante a injeção, a prática oferece à criança conforto físico, distração, sucção, ingestão de açúcares e outras substâncias que promovem efeitos de alívio da dor. 

O contato pele a pele, o calor, o som e o cheiro da mãe também estão entre os mecanismos analgésicos da amamentação de recém-nascidos em procedimentos dolorosos, de acordo com os ensaios clínicos citados na nota. 

A nota é assinada também pela Secretaria de Atenção Primária à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, Coordenação-Geral de Ciclos da Vida, Coordenação de Saúde da Criança e Aleitamento Materno.