Na quarta-feira (30), foi transmitido o XVII PIM Debate com o tema “Cuidado à gestante e puérpera na pandemia”. O principal objetivo do evento consistiu em ampliar a discussão sobre as estratégias de prevenção à covid-19 para estes grupos populacionais, bem como abordar o papel dos agentes comunitários de saúde (ACS) e visitadores do PIM neste cenário. Laura Ferraz, coordenadora do Departamento da Atenção Básica na Secretaria Estadual da Saúde (SES); Maura Belomé, sanitarista da Política de Saúde da Mulher da SES e Márcia Wazlawik, coordenadora do PIM de Santa Cruz do Sul, foram as convidadas para discutir a temática. A anfitriã foi Luiza Menezes, psicóloga que compõem o Grupo Técnico Estadual (GTE) do PIM.

Inicialmente, Maura Belomé discorreu sobre a série histórica de óbitos maternos no Rio Grande do Sul, entre 2011 e 2020, seguido da projeção para 2021. O gráfico mostrou que desde 2013 o Estado se manteve abaixo de 60 óbitos por ano. Assim, o RS se mantinha entre terceiro e quarto lugar com o melhor indicador nacional em relação à mortalidade materna. Porém, na transição de 2020 para 2021, já no contexto da pandemia, ocorreu uma notória aceleração nesses óbitos. A sanitarista também trouxe gráficos sobre as comorbidades presentes nos casos de óbitos maternos por Covid-19 em 2020 e 2021 no Estado gaúcho. Após, Belomé enfatizou a importância da vacinação contra Covid-19 entre as gestantes e puérperas, elencando que existem duas vacinas que não representam risco algum.

“As gestantes e puérperas devem ser vacinadas. Já temos duas vacinas que não representam risco algum. Isso é muito importante de ser discutido. As vacinas são nossas melhores propostas de enfrentamento [aos óbitos maternos]. O Rio Grande do Sul conseguiu trazer para o nosso plano estadual [de vacinação] que ele cubra todas as gestantes e puérperas, diferente do plano nacional. Então é muito importante que a gente tenha essa informação correta, baseada em evidências científicas para que a gente traga essa tranquilidade às mulheres”, explicou a sanitarista.

Laura Ferraz trouxe informações relacionadas à rotina de consultas médicas, pré natal para gestantes e puérperas nestes tempos de pandemia, chamando atenção para a fragilidade deste grupo de risco. Segundo a coordenadora, é fundamental que a gestante ou puérpera mantenha suas consultas médicas em dia, pois isto facilita a detecção rápida caso haja infecção por coronavírus.

Luiza Menezes divulgou as cartilhas da gestante/puérperas com recomendações no contexto de pandemia e cartilha do visitador do PIM/ACS que trata da maneira que os profissionais podem apoiar na atenção às gestantes e puérperas no contexto da Covid-19. A psicóloga mostrou algumas das principais orientações que constam nas cartilhas. Reforçando as medidas de prevenção contra o vírus. Menezes também alertou sobre a baixa adesão das gestantes e puérperas no plano nacional de vacinação contra Influenza.

Márcia Wazlawik explicou o projeto de atendimentos remotos grupais às gestantes, intitulado “jardim das gestantes”, promovido pela equipe municipal do PIM de Santa Cruz do Sul. A ação se deu por meio de um grupo no WhatsApp, fechado com 8 gestantes, onde foram programados de 8 a 10 encontros virtuais. A cada reunião seria abordado um tema específico por diferentes profissionais das áreas da saúde, educação e social. Durante o encontro cada gestante faria a confecção de um material com objetivos específicos. O foco da ação consiste em promover a interação entre as gestantes e entre elas e os visitadores. O público alvo é dividido entre gestantes com menos de 18 anos, e com até 28 semanas de gestação; ter acesso ao WhatsApp e à internet. A capacitação é feita pelo CEMAI, articulação com a ESF, e visita presencial. Em seguida, foi transmitido o vídeo de uma ex-participante do “jardim das gestantes”, relatando sua experiência positiva no grupo. Após, Wazlawik expôs os resultados da criação do projeto. Todos beneficiaram de forma significativa tanto às gestantes, quanto seus bebês.

Por fim, as convidadas responderam algumas perguntas feitas no “chat” da plataforma. O evento contou com tradução em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). O 17º episódio fez parte da série de webinars que compõem o espaço de formação continuada do Primeira Infância Melhor (PIM). Você pode assistir à esta e todas as outras edições do PIM Debate através do Facebook do PIM, Facebook da SES e Site do PIM.